Eleições do Parlamento Europeu em 9 de junho, veja o que mudou?

19/06/2024

Dia 9 de junho, dia de eleições em todos os países que compõem a U.E.

Em Portugal, as eleições para o Parlamento Europeu ocorreram dias 2 e 9 de junho. Dia 2, comparecerem os inscritos para as votações antecipadas e dia 9, para todos os votantes.

No dia 9, teve uma novidade, todos puderam votar em mobilidade, ou seja, sem estar em suas salas de voto, pois foi testado pela primeira vez, a votação através da leitura do cartão cidadão nos portáteis, em vez dos boletins de voto, onde constam os nomes dos eleitores.

Os eleitores portugueses escolheram 21 eurodeputados, que desempenharão um papel importante na definição das políticas da União Europeia para o período de 2024 a 2029.

Os vencedores que ocuparão as cadeiras no período de 2024 a 2029 em Portugal

Nas eleições europeias em Portugal, o Partido Socialista (PS) saiu vitorioso, mas com uma margem bem estreita face à Aliança Democrática (AD). Os socialistas conquistaram 32,10% dos votos, enquanto o partido do governo alcançou 31,12%.

O terceiro lugar foi ocupado pelo Chega, que obteve 9,79% dos votos, seguido pela Iniciativa Liberal que alcançou o quarto lugar com 9,07 por cento e também vai levar ao Parlamento Europeu dois mandatos. Depois seguiu o Bloco de Esquerda com 4,24 por cento, um eurodeputado eleito e o PCP, com4,12 por cento e um mandato. Sem mandatos eleitos ficaram o Livre com 3,75 por cento, o ADN com 1,37 por cento e o PAN com 1,21 por cento.

A noite de domingo, 9, foi acompanhada minuto a minuto, por conta desta margem apertada e a cobertura era detalhada pelos veículos de comunicação, tanto pela TV, como pela internet.

Os resultados pelo mundo, quem levou a melhor? Direita ou Esquerda?

Os resultados apurados pelos países da União Europeia mostraram um avanço da extrema-direita e mostraram que os partidos de direita tradicional e de centro continuam a ser maioria.

A contagem de votos indicou que a ascensão da extrema-direita foi menor que a esperada, isso porque a direita conseguiu, segundo os especialistas, fazer alianças que lhe garantiram o poder.

Entretanto, Siglas da esquerda sofreram perdas significativas e a maior derrota foi a de legendas ecologistas e ambientalistas.

Veja os detalhes das eleições do Parlamento Europeu 2024

Os Partidos de Direita encolheram de 39% para 36% do total de 720 assentos, principalmente devido ao recuo do partido Renascimento, do presidente da França, Já o Partido Popular europeu (de centro-direita) angariou o maior número de cadeiras: 186. 

Os Partidos de Extrema-direita, lideradas pela francesa Marine Le Pen e pela primeira-ministra da Itália, Giorgia Meloni, subiu no patamar, o bloco de Extrema-direita passou de 16,7% para 18,1% de representação no parlamento. Já os Partidos Verdes e os partidos Ambientalistas encolheram de 10% para 7% a sua representação. 

Os Partidos de Esquerda, formados pelo partido socialista e outras siglas de esquerda, tiveram um recuo. Passaram de 25% na legislatura anterior para 23% nesta legislatura. A Aliança Socialista e Democrata foi a segunda mais votada na eleição, conquistando 135 dos 720 assentos.

Quem levou quem para o Parlamento Europeu em 2024

Em 9 de junho de 2024, foram eleitos 720 eurodeputados, ou seja, 15 mais em comparação com as eleições anteriores.

O número de eurodeputados eleitos em cada país nas eleições europeias de 2024 foi: Alemanha: 96, França: 81, Itália: 76, Espanha: 61, Polónia: 53, Roménia: 33, Países Baixos: 31, Bélgica: 22, Grécia: 21, Chéquia: 21, Suécia: 21, Portugal: 21, Hungria: 21, Áustria: 20, Bulgária: 17, Dinamarca: 15, Finlândia: 15, Eslováquia: 15, Irlanda: 14, Croácia: 12, Lituânia: 11, Eslovénia: 9, Letónia: 9, Estónia: 7, Chipre: 6, Luxemburgo: 6, Malta: 6.

O número de eurodeputados eleito por cada país da UE é acordado antes de cada eleição e baseia-se no princípio da proporcionalidade, o que significa que cada deputado ou deputada de um país maior representa mais pessoas do que um deputado ou deputada de um país mais pequeno. O número mínimo de eurodeputados de cada país é seis e o número máximo é 96.

Veja mais opções

Atenção: O Crédito Português não faz avaliações de crédito e nem realiza empréstimos. O intuito do site é divulgar os produtos e serviços oferecidos pelas instituições financeiras, bem como dar dicas mediante fontes oficiais, com reportagem que informem sobre a economia do país.

>